VISUALIZAÇÕES

29 setembro 2015

Li e recomendo: "Antologia poética", de Carlos Drummond de Andrade

















SINOPSE


Poucos autores brasileiros foram tão conscientes no exame da própria obra como Carlos Drummond de Andrade. 

O poeta mineiro era organizado, cioso do seu ofício e sabia exatamente o seu tamanho na trajetória da poesia brasileira do século XX. Prova disso é a Antologia poética, reunida e organizada pelo próprio Drummond em 1962 - quando o poeta completava 60 anos de idade e 30 de intensa atividade literária -, e uma das melhores portas de acesso para quem deseja conhecer a imensa obra do itabirano. 

E ninguém melhor que o próprio Drummond para reunir desde poemas clássicos de seu percurso até outras peças menos conhecidas. O amor, a morte, a memória, a família e o passado brasileiro comparecem neste alentadíssimo conjunto de poemas, organizados em nove seções. Completa o volume um esclarecedor ensaio do poeta Antonio Cicero.

https://store.kobobooks.com/pt-br/ebook/antologia-poetica

Informação
Nota da primeira edição


Ao organizar este volume, o autor não teve em mira, propriamente, selecionar poemas pela qualidade, nem pelas fases que acaso se observem em sua carreira poética. Cuidou antes de localizar, na obra publicada, certas características, preocupações e tendências que a condicionam ou
definem, em conjunto. A Antologia lhe pareceu assim mais vertebrada e, por outro lado, espelho mais fiel.


Escolhidos e agrupados os poemas sob esse critério, resultou uma Antologia que não segue a divisão por livros nem obedece a cronologia rigorosa. O texto foi distribuído em nove seções, cada uma contendo material extraído de diferentes obras, e disposto segundo uma ordem interna. O leitor encontrará assim, como pontos de partida ou matéria de poesia: 

1) O indivíduo; 
2) A terra natal; 
3) A família; 
4) Amigos; 
5) O choque social; 
6) O conhecimento amoroso; 
7) A própria poesia; 
8) Exercícios lúdicos; 
9) Uma visão, ou tentativa de, da existência.


Algumas poesias caberiam talvez em outra seção que não a escolhida, ou em mais de uma. A razão da escolha está na tônica da composição, ou no engano do autor. De qualquer modo, é uma arrumação, ou pretende ser.
C. D. A.

Rio de Janeiro, 1962

Livros presentes nesta antologia:
  • Alguma poesia.
  • Brejo das almas.
  • Boitempo.
  • Claro enigma.
  • Fazendeiro do ar.
  • José.
  • Lição de coisas.
  • Novos poemas.
  • A rosa do povo.
  • Sentimento do mundo.
  • Viola de bolso.
  • A vida passada a limpo.
Trechos publicados no Facebook: