VISUALIZAÇÕES

22 outubro 2015

Li e recomendo: "O gaúcho" (1870), de José de Alencar.



O GAÚCHO
José de Alencar



Manuel Canho é um herói gaúcho que participa da Revolução Farroupilha como homem fiel a Bento Gonçalves e tenta vingar o assassinato do pai. Catita aparece como centro de um conflituado drama amoroso. Tais situações servem de fio condutor para a narrativa de O gaúcho, que vai revelando o universo da campanha gaúcha nos seus pormenores. 


Resumo de O gaúcho (1870)


Manuel Canho, aos nove anos de idade, viu seu pai, João Canho, ser morto por um castelhano chamado Barreda que confundira o bom homem amansador de cavalos com o amante de sua esposa, Loureiro, a quem João Canho havia dado abrigo.


Loureiro, ao saber da notícia, retorna à casa da família e acaba se casando com a mãe de Manuel. Ao tentar montar no cavalo do falecido, Loureiro é morto pelo animal que, parecia querer vingar a morte do antigo proprietário.

Com a morte do padrasto, Manuel finalmente segue em busca de Barreda para vingar a morte de seu pai e, nessa trajetória, vive várias aventuras.

Chegando à província de Entre-Rios, encontra o chileno D. Romero que possui uma égua bastante arisca, mas de exuberante beleza.

D. Romero está desafiando os presentes a montarem na égua. Ele afirma que o cavaleiro que conseguir montá-la será o seu dono. Ouvindo o desafio, Manuel se propõe a pagar pela égua, mas o chileno alega que ele a pode ter de graça desde que a monte.

Manuel não só consegue dominar o animal, habilidade que aprendera com o pai, como cria uma ligação afetuosa com a égua. Percebendo que ela parira há pouco tempo, Manuel sai em busca da cria e a encontra.