VISUALIZAÇÕES

18 janeiro 2016

Poema: "Cantiga de viúvo", de Carlos Drummond de Andrade.

CANTIGA DE VIÚVO

A noite caiu na minh’alma,
fiquei triste sem querer.
Uma sombra veio vindo,
veio vindo, me abraçou.
Era a sombra de meu bem
que morreu há tanto tempo.

Me abraçou com tanto amor
me apertou com tanto fogo
me beijou, me consolou.


Depois riu devagarinho,
me disse adeus com a cabeça
e saiu. Fechou a porta.
Ouvi seus passos na escada.
Depois mais nada…
acabou.


(Alguma poesia (1930), de Carlos Drummond de Andrade.)