VISUALIZAÇÕES

18 janeiro 2016

Poema: "Festa no brejo", de Carlos Drummond de Andrade.

FESTA NO BREJO

A saparia desesperada
coaxa coaxa coaxa.
O brejo vibra que nem caixa
de guerra. Os sapos estão danados.

A lua gorda apareceu
e clareou o brejo todo.
Até à lua sobe o coro
da saparia desesperada.

A saparia toda de Minas
coaxa no brejo humilde.
Hoje tem festa no brejo!


(Alguma poesia (1930), de Carlos Drummond de Andrade.)